Guilherme Mará

 Compositor, arranjador, Instrumentista (acordeon, 8 baixos, violoncelo, cavaquinho e percussão) e professor de música, Guilherme Mará iniciou seus estudos musicais no  violoncelo aos 17 anos de idade. Aos 24 anos  conheceu o acordeon ou, para os amantes da música nordestina, a sanfona e aos 30 anos passou a se dedicar também aos 8 baixos.     

       . No teatro, trabalhou com Ana Kfouri, Miguel Falabella e a CIA de Teatro Moitará, no qual foi preparador musical. Como violoncelista, trabalhou com as coreógráfas Doriana Mendes, Andreia Maciel e Márcia Milhazes e participou da peça “Gonzagão – A lenda”.

         Em 1997 foi um dos fundadores do grupo Forróçacana, banda de grande importância para o resgate e divulgação da música nordestina no Sudeste. O grupo se apresentou com Dominguinhos, Fagner, Elba Ramalho, Alceu Valença, Moraes Moreira, Geraldo Azevedo, Cássia Eller, Seu Jorge, Jorge Benjor, Lenine, Ed Mota, Zeca Baleiro entre outros. Concorreu ao Grammy Latino como melhor banda regional e ganhou o prêmio TIM de Música Brasileira em 2006. Gravaram 4 cds e 01 DVD intitulado “O Melhor Forró do Mundo”.

          Com os 8 baixos, Mará produziu e coordenou o CD de Zé Calixto – Poeta da Sanfona, com apoio da Petrobrás, e outro CD independente do tocador pernambucano Truvinca dos 8 baixos.   É membro fundador e coordenador musical do Núcleo de Pesquisas e Expressão da Sanfona de 8 Baixos do Brasil. Participou do l Encontro com os 8 Baixos no Rio de janeiro em 2014, participou da turnê do l Encontro de Gerações de Tocadores de 8 Baixos na região do Cariri em 2014 e 2015 e ll Encontro com os 8 Baixos e Encontro de Gerações de Tocadores de 8 Baixos em 2016 no Rio de Janeiro. Morou por 2 anos na cidade do Crato, região do cariri cearense, convivendo com o povo e a cultura nordestina, aprimorando sua técnica e se aprofundando em estudos, pesquisas e mapeamento de tocadores de 8 baixos na região.

          Em 2004 coordenou o projeto Forró de Cabo a Rabo realizado no Centro Cultural Banco do Brasil (Rio, São Paulo e Brasília) e o projeto do CCBB-Rio em homenagem a Jackson do Pandeiro (2006).  Participou da lll Turnê Cariri com a Cia Carroça de Mamulengos na Região do Cariri – CE.

           Co Idealizador, roteirista e diretor musical do Projeto Sanfonada Brasileira, tendo realizado apresentações pelo nordeste, Rio de Janeiro e Petrópolis – 2015/2016/2018 e 2019. 

           Em Petrópolis, sua atual residência, acompanhou a banda Tribo de Gonzaga por quase 10 anos, com quem gravou dois cds. É co-fundador do Grupo de Cultura Popular Arte de Brincantes e foi  professor de violoncelo no Projeto social ASM (Mosela) entre os anos de 2017 e 2019. Criou e realizou, ao lado de sua companheira Mirele Maravilhas, inúmeros projetos pela cidade de Petrópolis, entre eles: O Dia do Nordestino (Casa Claudio de Souza), Forrofiando uma História (SESC Nogueira), a Sanfonada Brasileira, 5 edições (SESC Quitandinha), as Oficinas de Musicalização com materiais recicláveis (Putirum Curumim), a Orquestra Sanfônica de Petrópolis (2019) e o bloco Fole e Folia durante o carnaval de Petrópolis em 2020.