Por ser um país de proporções continentais, o Brasil revela-se como um dos maiores celeiros culturais do mundo, onde a diversidade compõe essa aquarela de cores, músicas, manifestações religiosas, pratos típicos, expressões teatrais, expressões visuais, vestimentas entre diversos outros aspectos que definem a cultura de um povo.

       Valorizar nossos mestres, reverenciar os anciãos  e incentivar os  novos talentos é sempre um desafio para os educadores e agentes culturais. Dessa maneira atua o Tarrabufado Cultural, através de pesquisas e da realização de projetos focados na cultura, informação, capacitação, formação de platéia e entretenimento para a população.

Objetivo

Com o mundo cada vez mais dinâmico, e atualmente, enfrentando uma crise sanitária e econômica sem precedentes, a Cirandeira Cultural, busca agregar os valores culturais, alinhados ao bem-estar e a uma consciência mais humanitária. 

      Pontuar a informação como base essencial na formação de cada indivíduo. Não somente o entretenimento pela diversão, mas sim pela evolução como seres humanos. 

       Difundir a cultura em locais de poucos recursos e buscar favorecer um pensamento autocrítico de cada indivíduo.

      Valorizar em vida, os mestres e reconhecê-los como agentes que transformaram seu meio e muito contribuíram/contribuem com a nossa cultura.

       Criar ferramentas e soluções de aprendizado e estímulos para as crianças, adolescentes e todos os novos talentos que precisem de orientações.

Quem Somos

Idealizado e coordenado por Mirele Maravilhas (arte-educadora, cantora, brincante, produtora e terapeuta) e seu companheiro Guilherme Mará (músico, arranjador, compositor e professor), o Cirandeira Cultural é desdobramento do Núcleo de Pesquisa e Expressão da Sanfona e 8 Baixos do Brasil que iniciou-se em 2013 pela necessidade de reconhecer, mapear e divulgar os tocadores da sanfona de 8 baixos (no qual Mará é exímio tocador – discípulo do mestre Zé Calixto). De origem carioca, o casal, por conta de suas pesquisas, foram morar no sertão do cariri cearense, na cidade do Crato, Ceará, ao pé da chapada do Araripe. Foram dois anos de muitas pesquisas, amizades e como resultado surgiu o projeto Sanfonada Brasileira, o  Encontro de Gerações e a oficina de musicalização a partir dos ritmos nordestinos.

        Depois do mergulho em terras Cariris no Sertão do Ceará e de passagens por João Pessoa e pela Serra do Caparaó, o casal e sua filha, estabeleceram moradia na cidade serrana de Petrópolis, Rio de Janeiro, desde 2017. Com o intuito de trazerem a cultura nordestina à cidade imperial, Mirele criou o grupo Arte de Brincantes, dedicados aos ritmos e danças folclóricas do norte/nordeste. Paralelamente, criou a Sanfonada Brasileira, que com apoio do SESC Quitandinha, realizou mais cinco edições trazendo muita alegria e informação ao público petropolitano. Desse projeto, através do mapeamento dos sanfoneiros da região, Guilherme Mará idealizou e criou a Orquestra Sanfônica de Petrópolis, que em um ano de vida, já faz parte dos eventos da cidade. 

        Outros projetos também foram surgindo, como “Brincando de Brincantes” – direcionado ao público infantil, o “Forrofiando uma história” – apresentação musical com conteúdo didático e o “Fole e Folia” – uma junção entre o Arte de Brincantes e a Orquestra Sanfônica de Petrópolis e que através de uma oficina de percussão, formou-se um bloco de carnaval forrozeiro. O sucesso foi total, e muita alegria se espalhou pela cidade, no carnaval de 2020.

Projetos

Fole & Folia

Forrófiando

8 Baixos do Brasil

Arte de Bricantes

Guilherme Mará

Sanfonada Brasil

Instagram

Contato